Conheça os riscos que você deve prevenir ao comprar uma empresa.

Você já pensou em comprar uma empresa? Se sim, como você pensa em estruturar a aquisição?

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, comprar uma empresa não é um processo simples. Isso significa que se você quiser realizar uma aquisição, seja 100% ou apenas uma parte (por exemplo 50%), deve se precaver de alguns riscos.

O mercado de compra e venda de empresas (M&A), é multidisciplinar, por tratar de questões de negociação, direito contratual, societário, tributário, due diligencevaluation, etc.

Ao navegar no meu blog você encontrará outros posts sobre M&Afusãocisão, incorporação, bem como todo o passo a passo para se adquirir uma empresa.

Tomando os cuidados que trarei a seguir, a aquisição pode se dar com mais segurança. Caso contrário, a operação pode vir a ser prejudicada.

Por isso, prevenir determinados riscos ao comprar uma empresa é essencial. Por isso, listamos 5 riscos que você deve se preocupar e prevenir no momento da sua aquisição:

1 Negligenciar a exclusividade

Ao iniciar as negociações, é de suma importância que quem está comprando procure sempre inserir contratualmente cláusula de exclusividade na aquisição da empresa-alvo.

Desse modo, evita que o vendedor negocie com outros interessados, vinculando a operação ao comprador.

2 Não analisar o maior número de informações possíveis da empresa-alvo

Analisar superficialmente as informações da empresa-alvo pode dar a impressão que adquiri-la é uma boa opção, quando na verdade pode não ser.

Desse modo, o comprador deve estar bem assessorado para solicitar e analisar todas as documentações da empresa-alvo, realizar uma boa valuation para chegar no melhor preço, para então avaliar se vale ou não a pena adquirir.

3 Não realizar Due Diligence

Due diligence nada mais é do que o processo de investigação da empresa-alvo com intuito de compreender melhor o negócio e identificar possíveis passivos ocultos e contingências.

Dessa maneira, adquirir uma empresa sem realizar uma auditoria pode significar um tiro no pé. Afinal, analisar a fundo questões societárias, trabalhistas, fiscais, etc., pode ser crucial no momento de decidir se vale ou não a pena adquirir, além de desvendar a realidade por trás da empresa-alvo.

4 Não ter uma opção de saída do negócio

O comprador sempre deve prezar pela inclusão de cláusulas contratuais de opção de desistência do negócio, isto é, de saída, evitando a vinculação obrigatória da aquisição, principalmente, quando as negociações estão entre o signing e o closing.

Para saber mais sobre esses termos leia passo a passo para se adquirir uma empresa.

5 Não responsabilizar o vendedor 

Por fim, no contrato definitivo devem ser inseridos as responsabilidades do vendedor pelas contingências e pelos passivos ocultos não descobertos na due diligence, estipulando o procedimento de indenização. 

Do contrário, o comprador poderá estar assumindo um risco alto e sem volta.

Gostou da publicação? Deixe seu comentário!

Por Kim Medeiros.

05/07/2018.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *